16/07/2009

Diário de um Programador 11: Team up!

Fato: se você está numa equipe, faça parte dela.
 

O que quero dizer com isso?
Simples, se você está em uma guilda de qualquer jogo online, faça seu papel dentro dela. Se você é o tanker, tank! Se você é o Healer, heal!
Se você está numa equipe de engenheiros de Fórmula 1 e é o responsável pela retirada do pneu dianteiro direito, quando o carro parar retire-o!
Se você está numa equipe de desenvolvimento e é responsável pela análise da confiabilidade do sistema, sente na frente do computador e analise!

O que você não pode querer é ser o Rambo da equipe, jogar no single player, fazer tudo sozinho, pegar a bola no meio de campo e chamar a responsabilidade para si!!1!

 
Por que?
Darei um exemplo do meu dia-a-dia para podermos debate-lo com alguma base concreta.
 

Na equipe de TI a qual pertenço tudo estava andando na maior paz e armonia. Todos os serviços estavam rodando bem e os usuários não reclamavam de nós.
Ou seja, se erros ocorriam nas máquinas os técnicos de suporte moviam-se até os usuários e averiguavam qual era o problema. Se não conseguissem resolve-lo trocavam idéias entre si e com o resto da equipe, protocolavam todos os acontecimentos e problema resolvido.
Cada um é uma peça fundamental neste dia-a-dia empresarial.

Eis que de repente, e não mais que de repente, um novo integrante chega a equipe de infra-estrutura de rede
Vamos chama-lo de Biba (estou com raiva dele mesmo!).
Biba agora é chefe dos administradores de rede e se sente a pica que matou Cazuza última Coca geladinha no deserto, crente que está arrazando.
Decide então que serviços que trabalham via Stream são prejudiciais e resolve bani-los da empresa (Gtalk rodou nessa).

Vejam bem: sem avisar ninguém, pedir informações ou no mínimo protocolar o fato!

Mas já que ele estava lá com a pica doce abalando, por que não abaixar o nível dos técnicos de suporte, que antes possuiam permissões de administradores de rede mesmo sem sê-lo, para meros usuários?

Novamente reparem bem: sem avisar ninguém, pedir informações ou no mínimo protocolar o fato!

Biba com certeza sentiu-se feliz.
Além de ser o (pseudo) manda-chuva da TI (acho que Biba pensava que mandava até no gerente), estava rebaixano o nível dos outros.
Afinal, se eu não posso subir, pelo menos fico mais alto te fazendo descer.

E ai ele pensou: esse servidor aqui rodando essa tal de intranet, sei não…
Quem é esse tal FReNeTiC cheio das permissões nesse serviço?
Pode não, o servidor é MEU, apenas MEU, todo MEU, só MEU!
E resolveu retirar as permissões de administrador do pobre do FReNeTiC, o chefe da EUquipe de desenvolvimento de sistemas internos.

Agora vejam bem que além de me fuder com força me deixar sem trabalhar ele fez tudo isso: sem avisar ninguém, pedir informações ou no mínimo protocolar o fato!
 

Onde eu quero chegar com isso?
Ele faz parte de uma quipe!
Mas ele quis fazer tudo sozinho!
Ele não consultou a equipe, não avisou a equipe, não se importou com a equipe.
Ele se excluiu da equipe!
Biba ficou pensando que, só por que entrou na empresa num cargo com poder e ganhando bem, ele não precisava da equipe, que ele era o pica de ouro cara da parada!
 

E o que aconeceu?
Ao encerrar as conexões via Stream, além do Gtalk parar de funcionar (te odeio Biba!), a VPN e os serviços de conexão entre os prédios da empresa cairam e deixaram de funcionar.
Ou seja, alguns 40 engenheiros que ganham (MUITO) muito bem (é grana pra caralho), ficaram cerca de 4 horas sem trabalhar por que não havia comunicação com os servidores de dados.

Ao tirar permissões dos técnicos de suporte, eles não podiam entrar nas máquinas com problemas para reconfigurar, instalar ou remover softwares.

E ao tirar as permissões do FReNeTiC toda a EUquipe de desenvolvimento parou.
Bugs não foram resolvidos, o novo layout do sistema não foi instalado e prazos não serão concluídos.
 

Concluindo:
Quando te chamam para participar de uma equipe não esperam que você seja o melhor amigo dos membros, mas esperam que você trabalhe com eles.
Trabalhar em conjunto, confiando um no outro, confiando que cada um vai fazer sua parte, a parte que te pagam para estar lá fazendo, e que se for preciso, vocês se ajudarão.
Se você tentar ser mais do que pode ou menos do que deve a equipe não vai conseguir trabalhar com você.

Por tanto deixo aqui a dica:
Se te chamarem para participar de uma equipe vá!
E vá com fé!
Não a nada melhor do que ter colegas para dividirem as tarefas com você.
Mas entenda que a equipe é como o corpo humano, cada órgão depende de outro órgão, e até mesmo o cérebro que manda e desmanda em todo mundo depende que todos estejam trabalhando direito.
Se tiver dúvidas pergunte.
Ajude aos outros membros da sua equipe.
Faça sua parte e se ofereça para melhorar a qualidade do trabalho da sua equipe.
Você não é obrigado a se dar bem com todos da sua equipe, mas na hora do trabalho faça o que é melhor para o bem comum que com certeza você irá ver a sua equipe crescendo e os problemas desaparecendo!

Mas se você preferir, você pode dar uma de Biba e ter muita gente querendo o seu pescoço na corda…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , ,

Comentários »

  • John

    ”O que você não pode querer é ser o Rambo da equipe, jogar no single player, fazer tudo sozinho, pegar a bola no meio de campo e chamar a responsabilidade para si!!1!”
    Que isso fique claro , max

Busca

Não leve o CDVagabundo a sério, tudo é apenas humor para nerds.