03/08/2009

Diário de um Programador 12: linguagens de programação

Tudo que digo aqui no Diário de um Programador são coisas que passo pelo meu dia-a-dia. Gosto de escrever aqui pois sinto que assim dou dicas para os que estão começando na área da informática e podem se sentir meio perdidos e desnorteados. Pelos menos era assim que eu me sentia quando comecei a faculdade. É como dizem: “Uma pessoa esperta aprende com seus erros. A inteligente aprende com o erro dos outros“.

Na minha opnião um dos maiores problemas para um programador é escolher uma linguagem de programação para aprender. Seja um veterano ou novato, um dia você vai se deparar com esse problema.

Por que?

Simples: São tantas linguagens de programação que existem por ai que você não vai querer aprender todas. E as vezes apenas uma resolve o seu problema, em várias áreas da programação (web, cloud, desktop, etc).

Quando entrei na faculdade resolvi aprender PHP. Simplesmente por que achei que a sintaxe era simples, e por que haviam várias propostas de estágio para essa linguagem.
Atualmente posso dizer que destruo bastante nessa linguagem (já são 3 anos com ela) e que posso fazer muita coisa.
Mas ela me deixou na mão.
Linguagens de programação possuem limitações que um dia irão aparecer.

E agora? O que fazer?

A solução é aprender uma linguagem nova.
A maioria dos programadores domina muito uma linguagem, saca bastante de uma segunda linguagem, e arranha de leve com ajuda de tutoriais uma terceira.
Assim você se torna versátil, soluciona os problemas dos seus clientes e desenvolve o que for preciso.
Você se torna um profissional diferenciado!

E ai surge um novo problema: se você ainda estiver na faculade.

Quando se está na faculade é muito comum estagiar e trabalhar em funções que não são as que você deseja.
No meu caso: quero me mestrar e pós-doutorar em inteligência artificial. Mas trabalho como desenvolvedor em intranet usando PHP e C.
São linguagens legais, mas para trabalhar com I.A. quase que não prestam. Pode ser que atrapalhem no estudo e desenvolvimento de técnicas de automatos e agentes.

E ai?

E nessa pergunta que eu me encontro. E ai? O que eu devo fazer?
A solução que encontrei foi a de no meu último ano de faculdade (2010) largar do meu emprego e me dedicar aos estudos na minha área.
Isso implica em perder meu salário, me dedicar ao estudo de técnicas e teses e tentar arranjar um estágio, emprego ou bolsa de estudos na área de I.A. que eu pretenda ficar. E claro, aprender novas linguagens de programação que solucionem meus problemas de pesquisa.
E ai volta lá para o começo deste POST: o problema em escolher uma linguagem de programação.

A vida de um profissional da informática é isso mesmo.
Surge um problema e você tem que aprender algo novo.
Logo outro problema surgirá e o conhecimento que você possui não é suficiente. Então, aprenda coisas novas.
A idéia é aprender de uma só vez algo que solucione vários problemas.
No nosso caso, uma linguagem que desenvolva vários tipos de aplicação na melhor forma possível.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , ,

Comentários »

  • É, nem mim fale nisso!

    É por isso que vou migrar do PHP para Java.

    Tem Java pra web e software(desktop, aparelhos portáveis).

    Depois que vi um vídeo no OlharDigital falando que a linguagem .NET e Java está em “alta” no mercado, eu decidir sair do PHP.

    Falow! ;)

    Faculade é uma gíria ou um erro ortográfico ?

Busca

Não leve o CDVagabundo a sério, tudo é apenas humor para nerds.