25/04/2011

Diário de um Programador 18: Participe!

Uma das dicas mais simples que posso dar para quem gosta do que faz e, em especial, ao pessoal da computação e afins: PARTICIPE!

Participar?

Vamos analisar e discutir a partir da minha exeperiência de vida (afinal, é para isso que serve o diário de programador).
Continue lendo…

0 comentários

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , , ,

21/02/2011

Diário de um Programador 17: Um bom salário VS uma boa oportunidade

Após um bom tempo sem escrever um Diário de Programador, trago hoje um fato da minha vida que muitos me perguntam e eu sempre penso a respeito: O que vale mais, um bom salário ou uma boa oportunidade?
Claro que nesta dicotomia estou considerando que ambas as opções são para fazer algo que você realmente gosta.
Afinal, comentando o que todo mundo já sabe: “faça o que você gosta e o que te dá prazer, ou vire dona de casa”.

Continue lendo…

2 comentários

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , , ,

28/07/2010

Diário de um Programador 16: escravo da tecnologia

Há apenas dois motivos para uma pessoa decidir entrar na área da tecnologia: Ou você é DOIDO ou você adora tecnologia.
Alguém pode dizer: “e a questão da necessidade?”
Acredite, necessidade nenhuma vai fazer alguém se enveredar pelo mundo tecnológico.
No meu curso de graduação, bacharelado em Ciência da Computação, o mais comum é ser doido e adorar tecnologia, tudo ao mesmo tempo.
Ou seja, somos pessoas com problemas. O nosso problema é que é muito fácil se deixar levar pela tecnologia, suas inovações e revoluções, e acabamos por virar escravos dela.

E como é possível não virar escravo?

Continue lendo…

1 comentário

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , , ,

22/02/2010

Diário de um Programador 15: O tempo é um inimigo

Antes de entrar na faculdade eu tinha tempo para tudo, inclusive de durmir no meio da tarde.
Sobrava-me tempo para estudar, jogar minhas 4 horas diárias de DoTA, fazer a barba, ler livros, etc.
No meu primeiro período de faculdade a quantidade de material para ler e estudar era simplesmente algo que, para mim na época, era um absurdo! Era abusivo! Era excessivo!
Mas mesmo assim, dava para ter tempo livre e vadiar do jeito que todo mundo gosta.
O tempo se passou, a dificuldade das cadeiras da faculdade aumentaram e eu arranjei um estágio…

Continue lendo…

4 comentários

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , , , ,

11/12/2009

Diário de um Programador 14: Meu código fonte é a minha poesia

Como qualquer pessoa, um programador também está fadado a ter sentimentos e a ter esses sentimentos interferindo no seu trabalho.
Convenhamos, é extremamente difícil separar o emocional do profissional.
Quando se trabalha com criação então, você deve permanecer neutro, imparcial, um rochedo indestrutível e inabalável!

Continue lendo…

2 comentários

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , , , , ,

08/09/2009

Diário de um Programador 13: leia mais

Um problema de fácil solução que vejo entre muitas pessoas de T.I: elas não leêm.
Não falo de pegar livros como “O Hobbit” ou “A biblía sagrada”, mas leituras relevantes a sua área de atuação e a sua forma de pensar.

Continue lendo…

2 comentários

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , ,

03/08/2009

Diário de um Programador 12: linguagens de programação

Tudo que digo aqui no Diário de um Programador são coisas que passo pelo meu dia-a-dia. Gosto de escrever aqui pois sinto que assim dou dicas para os que estão começando na área da informática e podem se sentir meio perdidos e desnorteados. Pelos menos era assim que eu me sentia quando comecei a faculdade. É como dizem: “Uma pessoa esperta aprende com seus erros. A inteligente aprende com o erro dos outros“.

Na minha opnião um dos maiores problemas para um programador é escolher uma linguagem de programação para aprender. Seja um veterano ou novato, um dia você vai se deparar com esse problema.

Por que?
Continue lendo…

1 comentário

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , ,

16/07/2009

Diário de um Programador 11: Team up!

Fato: se você está numa equipe, faça parte dela.
 

O que quero dizer com isso?
Simples, se você está em uma guilda de qualquer jogo online, faça seu papel dentro dela. Se você é o tanker, tank! Se você é o Healer, heal!
Se você está numa equipe de engenheiros de Fórmula 1 e é o responsável pela retirada do pneu dianteiro direito, quando o carro parar retire-o!
Se você está numa equipe de desenvolvimento e é responsável pela análise da confiabilidade do sistema, sente na frente do computador e analise!

O que você não pode querer é ser o Rambo da equipe, jogar no single player, fazer tudo sozinho, pegar a bola no meio de campo e chamar a responsabilidade para si!!1!

Continue lendo…

1 comentário

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , ,

19/06/2009

Diário de um Programador 10: Reconhecimento

Programadores (desenvolvedores e afins) não são reconhecidos pelo seu trabalho.
O trabalho de alguém da área não é simplesmente sentar em uma cadeira de frente ao computador, com uma IDE aberta e começar a despejar linhas e linhas e muito mais linhas de código de uma só vez, sem parar.
Ser programador não é ter tudo na cabeça, chegar no trabalho, fazer o que tem que ser feito, levantar e sair.
Longe disso.
Para estar nessa área é preciso muito estudo.
As máquinas, linguagens de programação e técnicas se desenvolvem muito rápido, e você tem que acompanhar isso.
As necessidades dos seus clientes crescem muito, e você tem que acompanhar isso também.
Ser programador requer muita força de vontade.
Chegar em casa depois de um dia cansativo e ler artigos e mais artigos, livros, treinar, terminar aquele programa que não deu tempo no trabalho.
Como digo várias vezes aqui, fazer um programa, por mais simples que seja, é muito trabalhoso, requer muito esforço.
Não sei os outros programadores, mas eu gosto que o que eu faça saia perfeito, impecável. Sou muito rigoroso com meus programas.
 
MAS PARA QUE?
 
Na nossa área não temos o devido reconhecimento.
Sei que em várias outras áreas de trabalho as pessoas tem problemas até maiores que o nosso, mas aqui é o diário de um programador.
É muito raro um cliente dizer: “Poxa, aquele seu programa heim?! Você está de parabéns!” ou então um bom e velho “obrigado por se esforçar para fazer essa obra prima”.
O máximo de reconhecimento que temos é dos outros iguais a nós, que veêm o programa e ficam loucos para saber que técnicas usamos, linguagens, APIs, algoritmos e afins. Mas isso é apenas entusiasmo profissional.
 
Por isso, deixo aqui um conselho para todos os programadores novatos ou aos que querem entrar no ramo: Tenham um hobby divertido, amigos de bar, bons amigos, e alguém para te abraçar quando você chegar em casa.
Porque as vezes, todo o stress que você passa durante o seu dia-a-dia, todo o esforço que você aplica em um trabalho, por mais que você fique feliz em vê-lo completo e funcionando, não é o suficiente.
 
É bom ouvir um obrigado e ser reconhecido pelo seu trabalho, e se você não consegue viver sem isso, não tem força para aguentar essa falta de reconhecimento, desista da área de computação!
 
 
PS: Aos que gostam do diário de um programador e a sua realidade com um toque de humor, desculpem a tristeza e o texto seco de hoje. Só queria fazer um desabafo e dar um conselho aos que entram nessa bronca.

5 comentários

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , ,

11/06/2009

Diário de um Programador 09: Desânimo e Paciência

Não sei quanto aos outros programadores, mas meu trabalho é afetado pelo meu desânimo e pela minha paciência.
Muito simples, programadores são pessoas normais, meros mortais, que tem seu trabalho afetado pelo seu estado emocional.
Como todo mundo, programadores (desenvolvedores e afins) devem abstrair isso de suas vidas, e serem completamente profissionais no ambiente de trabalho.
 
Mas puta que pariu como que eu faço isso?!
 
Quando se trabalha com criatividade, testes e padrões, aquelas linhas de código intermináveis, muita lógica, prevenção e correção de bugs, o prazo que é seu inimigo…
As vezes você tem uma super prova dos infernos na faculdade que está tirando seu sono (literalmente, estudando até as 3 da manhã), aquele cansaço no dia seguinte, o desânimo de se trabalhar num cubículo olhando aquela IDE estúpida denovo é eminente.
Sua mente não quer ser criativa, ela apenas quer ficar pensando o quanto está cansada e o quanto você está na merda.
Ou quando seu chefe te dá uma CR “do momento”, seu time está na série D, sua namorada briga com você no dia anterior, você toma chuva quando vai para o trabalho, quando tem que trabalhar no feriado…
Ai você chega na empresa sem paciência e PAAAAAAAAAAAAAAAAN! um bug maldito que não quer ir embora.
Quando se está estressado, não importa o quanto se tente, sua cabeça não consegue ver o óbvio, não consegue ver a falta de um ; (ponto-e-vírgula) na sua frente.
Ela apenas quer se enfurecer e se frustrar…
 
Quem quer fica nesta área, programação e desenvolvimento, tem que saber “as manhas, tá ligado?”
Tenha sempre várias mp3 e podcasts no computador para escutar, ponha seus sites favoritos e de leitura engraçada e relaxante nos favoritos (para acesso rápido), mantenha o seu Instante Messenger semrpe aberto (se sua empresa proibe, abra o Gmail que tem Gtalk), tenha um pote com doces na sua mesa, faça amizade com quem vende lanche perto do seu trabalho, entre várias outras possibilidades.
Ai, quando bater um desânimo, um desespero, um stress maior.
Quando você não aguentar mais olhar para as IDE’s, tabelas de Excel com cronograma, os vários post-it com recados e lembretes que se tem na mesa.
Quando bate aquela vontade de gritar e chorar, sair correndo gritando palavrão bem alto (minha sequência favorita é C*, *aralho e b*ceta, repetindo a sequência como um mantra).
Você apela pras manhas!
 
Ponha os fones de ouvido e comece a escutar o seu audio, abra todos os favoritos em várias abas, coma uns doces (ou ligue para o tio(a) do lanches para ele levar uns esquemas pra você), puxe papo com um amigo da área pelo Messenger.
Fique assim, relaxando mesmo, até você se sentir bem.
Em cerca de 15 minutos os problemas estão passando…
Quando você se sentir melhor, prepare-se para voltar a trabalhar, sem stress, sem pressa.
Feche tudo (deixe a música, é melhor trabalhar ouvindo música), levante-se, vá no banheiro, dê aquele mijão, lave o rosto, faça um alongamento, passeie um pouco pela empresa, para alongar e esquentar.
Volte para sua mesa e vamo que vamo.
Algumas pessoas, como eu, fazem um pequeno exercício de respiração antes de voltar para mesa, é bom para relaxar.
 
Hoje eu estava assim, cheguei na empresa sem um pingo de paciência, queria mandar todo mundo tomar no cubanho!
Ai decidi escrever como isso ocorre e como eu faço para melhorar e pronto, passou =D.
Agora vou lá dá aquele mijão, fazer um exercício de respiração, e poderei programar novamente.
 
Se você quer ouvir músicas novas, recomendo que acesse ResenhandoASonoridade, um site muito bom com reviews de vários cds de rock.
Hoje eu estou escutando a banda Bleeding Through para relaxar.

4 comentários

Postado por , em Diário de um Programador
Tags: , , ,

Página 1 de 212

Busca

Não leve o CDVagabundo a sério, tudo é apenas humor para nerds.